A Nova Geração de Pop-Up

 

Uma nova geração de lojas temporárias, conhecidas como Pop-Up Stores, se reinventa e cria novas formas de fazer negócio em curtos períodos de tempo.


Ainda pouco usado no Brasil e com alto potencial de negócios, as Pop-Ups surgiram nos anos 90 em grandes cidades como Nova Iorque, Tóquio, Londres, Paris entre outras. Inundaram as temporadas de verão e férias com pontos de venda de marcas conhecidas que duravam pouco tempo, apenas o suficiente para aproveitar o fluxo sazonal de compradores. Quase todos os tipos de produtos são comercializados em Pop-Ups, desde vestuário até eletrônicos, passando por calçados, eletrodomésticos, móveis, viagens, cosméticos, alimentos e muitos outros. Uma Pop-Up normalmente opera de 1 a 3 meses, tem uma estrutura física mais simples que uma loja tradicional, aproveita as características do imóvel sem fazer grandes reformas, e tem foco nas vendas físicas onde o volume de pessoas transitando é expressivo o suficiente para justificar sua instalação. Desde 2012, uma nova geração de Pop-Ups começou a surgir trazendo mudanças significativas na forma de construir essas lojas, também sobre como os varejistas enxergam os espaços de venda e o jeito de fazer negócios utilizando tecnologias emergentes como aliadas.

Custo menor – a localização é vital no varejo, e o investimento também. Varejistas estão mais atentos que nunca aos custos de montagem das Pop-Ups. Por isso, duas mudanças podem ser consideradas novas regras destes negócios: (1) o espaço que abriga a Pop-Up precisa receber a menor intervenção possível, então as características do imóvel são decisivas na hora de escolher o ponto; e (2) quase tudo precisa ser reaproveitado, o investimento não pode se perder numa única Pop-Up e quanto mais puder ser reutilizado, melhor. Por exemplo, a rede de moda espanhola Beiñ utiliza pontos comerciais vazios, que estão disponíveis para serem alugados, por curtíssimos espaços de tempo ela monta uma loja e não faz qualquer adaptação no imóvel. Já a varejista H&M, carrega uma loja temporária completa e reutilizável, que pode ser montada em qualquer lugar, inclusive onde não há comércio ao redor.


Leve e modular - as primeiras Pop-Ups eram montadas em contêineres, estruturas baratas que podiam ser transportadas facilmente, e rapidamente se transformavam em lojas. Novas estruturas metálicas reduziram significativamente o peso das Pop-Ups, tornaram as peças modulares, facilitando a adaptação da loja ao espaço e local disponível, além de melhorarem incrivelmente o visual, tornando este formato também apreciado por marcas mais sofisticadas como Hermès, Michael Kors e outras.


Visual Merchandising – quando as Pop-Ups iniciaram, o custo de impressão de imagens, recortes de letras em vinil e adesivos era muito superior ao atual. Atualmente, várias lojas temporárias aproveitam o menor custo desses materiais para ambientar áreas inteiras de loja ou destacar produtos com maior ênfase visual. A grife Maison Kitsuné inaugurou em 2015 sua primeira Pop-Up em Hong Kong e pretende viajar com a loja pelas principais capitais do mundo, substituindo apenas os adesivos que envolvem a área de vendas.


Integrado às Mídias Sociais – as lojas Pop-Up, dependiam exclusivamente do tráfego local e eram montadas somente nos principais pontos de passagem para aproveitar o fluxo de pessoas, que não por coincidência também eram as localizações mais caras. Como o conceito da Pop-Up é similar ao de um evento, tem prazo determinado, os varejistas passaram a usar as redes sociais para divulgar e impulsionar o movimento das lojas, fazendo da loja temporária uma unidade já conhecida da vizinhança antes mesmo de ser visualizada fisicamente. A estratégia de divulgação nas redes sociais antes da loja ser instalada e durante a permanência é amplamente utilizada pelas Pop-Ups de alimentação.


O investimento numa Pop-Up depende do projeto. Mas, de modo geral, o lançamento de uma loja desse formato custa entre 20 e 30% o valor de uma loja tradicional, com a vantagem de ter a estrutura reaproveitada em outros locais e momentos. Os consumidores valorizam a energia e o entusiasmo gerados por uma loja como essa, e as ações on-line com mídia espontânea, a fortalecem.

Comercialmente, o formato de loja também ajuda a testar novos mercados. Se a Pop-Up tiver um bom desempenho, a região poderá receber uma loja permanente da marca. A nova geração de Pop-Up tem alto potencial de negócios.

 

 

 

Voltar para Design

Os editoriais representados nesse site não expressam necessariamente a opinião das organizações mencionadas. Os textos são escritos por analistas de mercado de/para Dexi Marketing Ltda. com informações e imagens disponíveis na mídia. Não têm qualquer vínculo comercial ou publicitário com o seu editor. Assim, a Dexi espera colaborar com informações técnicas para o desenvolvimento do conhecimento do varejo e estudos do comportamento de consumo.

© 2016 por Dexi Marketing Ltda. Todos os direiros reservados.