Um olho no cliente, outro na concorrência.

 

Observe ao redor, o varejo brasileiro está mais qualificado e tem se tornando cada vez mais competitivo.

Novas lojas têm incorporado técnicas modernas de varejo e estão se posicionando na vanguarda do mercado, algumas se tornam competitivas até para experientes e renomadas operações internacionais. Estamos fazendo a lição de competitividade. Algumas lojas estão mudando independentemente da concorrência, elas querem conquistar uma parcela maior do mercado, expandir, melhorar a lucratividade ou, simplesmente sobreviver num ambiente mais agressivo. Esse novo cenário do varejo nacional está sendo formado através do maior acesso à informação, multiplicação dos eventos no setor, novos cursos técnicos, facilidade de benchmarks internacionais, investimentos em pesquisa e comportamento do consumidor e, principalmente, qualificação dos profissionais de varejo no Brasil. Impressionar os clientes e ganhar vantagem sobre os concorrentes está mais difícil, ainda mais nos grandes centros como São Paulo e Rio de Janeiro.
O cenário atual, exige novas competências e atenção crescente aos detalhes. Ter uma proposta de montar uma loja comum não garante mais a sobrevivência, os altos custos exigem lojas mais produtivas. Algumas ações tornaram-se básicas para o varejista competir no mercado e conquistar novos clientes.


Melhores Práticas

Mude com frequência - novidade atrai clientes. Sempre. Se os clientes souberem o que vão encontrar, a loja perderá boa parte do seu encanto. A emoção da descoberta é intrigante e trazer algo diferente, sempre chama a atenção. A novidade poder ser na vitrine, na comunicação, nas cores, na exposição e, claro, nos produtos à venda.

Saiba o que vai acontecer - os estudos de tendência do varejo ajudam a identificar o que é, e será, fundamental para manter-se nos negócios. Não fique para atrás, esteja atento aos websites, publicações, eventos e outras notícias do setor. Obter bom conhecimento é mais fácil do que parece.

Estimule a interação - quanto mais os clientes interagem com os produtos, melhor. Expor produtos fora do alcance dos clientes, proibir que tirem fotos com o celular, excesso de segurança, não expor na internet entre outros procedimentos dificultam a interação dos clientes. Na maioria das vezes, o risco de ampliar a exposição é compensado com aumento das vendas.

Acompanhe a concorrência, de perto – grande parte dos clientes faz comparações entre as opções de mercado antes de comprar. Logo, é prudente que você também saiba o que está acontecendo na comunicação da concorrência, quais produtos estão sendo destacados, variações de preço, mudanças na exposição, lançamentos e outros detalhes que podem fazer a diferença na decisão de compra dos clientes.

Tecnologia - a loja não precisa estar na vanguarda da tecnologia, mas a atualização é condição de sobrevivência. Algumas tecnologias de pagamento, comunicação, consulta de estoque, produção, dados da operação são básicas para manter a loja em funcionamento e concorrer em condição de igualdade com a concorrência.

Visual da loja - considere que o visual das lojas deve muda ao longo do tempo, e ficar desatualizado pode ser um atributo depreciativo para imagem da loja, ou marca. Manter o visual competitivo da loja, algo que expresse o posicionamento da marca, tem influência direta no faturamento e na competitividade do negócio.


Manter a competitividade significa estar à altura da concorrência em produto, serviço, preço, variedade, visual entre outras características que permitam a comparação dos consumidores. Já a vantagem competitiva, para sustentar as estratégias de crescimento real como, por exemplo, aumento da participação no mercado, maior produtividade, preferência do consumidor pela marca demandam superioridade na proposta de valor, experiência de compra e operação.
Formular estratégias e executar uma operação de sucesso no varejo brasileiro está se tornando mais complexo e profissional, resultado da maturação do nosso varejo.

 

 

 

 

 

 

 

Voltar para Estratégia

Os editoriais representados nesse site não expressam necessariamente a opinião das organizações mencionadas. Os textos são escritos por analistas de mercado de/para Dexi Marketing Ltda. com informações e imagens disponíveis na mídia. Não têm qualquer vínculo comercial ou publicitário com o seu editor. Assim, a Dexi espera colaborar com informações técnicas para o desenvolvimento do conhecimento do varejo e estudos do comportamento de consumo.

© 2016 por Dexi Marketing Ltda. Todos os direiros reservados.