Eventos que atraem clientes

 

Lojas criam verdadeiros calendários profissionais de eventos, ampliam o relacionamento com os clientes e geram tráfego adicional.

Um convite sempre aproxima as pessoas, é um motivo para conviverem e estreitarem relacionamentos, se atualizarem sobre os últimos acontecimentos e experiências adquiridas. Algumas marcas criam uma verdadeira sistemática para que isso aconteça e desenvolvem um calendário de eventos para estimular as pessoas a visitarem a loja, conhecerem um pouco mais da sua história, serviços, produtos e tudo mais que gere assunto, experiência, conhecimento e, claro, maior tráfego, relacionamento e venda adicional. Fazer eventos na loja está longe de ser uma tarefa fácil, mas é divertido, prazeroso, e pode se tornar um trabalho rentável para a loja por se tratar de uma ação de baixo custo e, principalmente, vigorosa para a marca. Um bom exemplo são os eventos criados pela marca Chilli Beans em sua loja conceito da Rua Oscar Freire, na cidade de São Paulo.

 

A sistemática é fácil, mas alguns detalhes são importantes. A loja seleciona alguns assuntos que sejam de interesse da comunidade como lazer, cultura, técnicas ou outros motivos que possam ser ofertados como um “presente”. Não é algo físico como um produto, mas pode ser atenção, conhecimento e experiência. O convidado precisa sair do evento com a percepção de que valeu a pena ter disponibilizado seu próprio tempo. O evento, muitas vezes, acontece em forma de palestras de especialistas, treinamentos de uso dos produtos, troca de experiências interessantes, como um café, ou qualquer outra atividade que agrade as pessoas convidadas.

Alguns eventos já fazem parte do nosso dia-a-dia e são clássicos. Por exemplo, os lançamentos de livros nas livrarias, desfiles de moda em shopping centers, técnicas de pintura nas grandes lojas de materiais de construção, aulas de culinária na loja de utensílios, técnicas de artesanato e por aí vai. Algumas lojas chegam a reservar espaços fixos e exclusivos para esses eventos. Se os eventos forem cíclicos, pequenos e com a interação da comunidade, melhor ainda. A rede norte-americana de artigos de cozinha Williams-Sonoma constrói em suas principais lojas uma verdadeira cozinha, no centro da área de vendas, para rápidos cursos e demonstrações que, claro, revertem em negócios. As lojas de artesanato Michaels divulgam mensamente seus calendários de eventos aos clientes através de panfletos. Vários eventos acontecem enquanto a loja está fechada, antes ou depois do horário de funcionamento, ampliando assim a produtividade do espaço.

 

 

Melhores Práticas

 

É preciso ter um objetivo – ampliar o relacionamento com os clientes atuais ou trazer novos clientes para a loja? Apresentar a loja ou vender produtos? Ampliar a percepção da marca ou estabelecer relacionamentos? De qualquer forma, é preciso ter claro o que se deseja para medir a performance do evento posteriormente.

 

Determinar o orçamento – considere as despesas diretas que o evento irá gerar como alguma bebida, aluguel de cadeiras, equipamentos, limpeza entre outros, e as despesas indiretas como, por exemplo, hora extra dos funcionários caso o evento seja feito fora do horário da loja.

 

Calcular o horário – os eventos podem ser feitos durante o horário de funcionamento da loja ou fora dele. Entretanto o mais importante é que o horário seja conveniente para os convidados. Alguns varejistas, preferem utilizar a hora anterior à abertura da loja para o evento, assim os convidados têm a percepção de “exclusividade” e “bastidores” com o acesso à loja ainda fechada, e no final ficam para comprar como se a loja já abrisse cheia.

 

Selecionar o tema – o tema deve ser de interesse dos clientes e da comunidade. Então, separe um assunto que seja realmente interessante para eles. Alguns assuntos podem despertar maior interesse que outros, por isso, anote sempre a quantidade de participantes e tente descobrir o tipo de tema que mais faz sucesso. Palestrantes convidados como músicos, escritores, artistas, celebridades, cozinheiros e outros profissionais especializados costumam chamar bastante atenção.

 

Divulgar – a loja pode criar um plano de mídia (impressos, email marketing, banner, etc.), utilizar a internet para divulgação (website, Facebook, Instagram, etc) ou ainda buscar apoio externo (lojas da redondeza, jornal do bairro, igreja, etc.). É importante que tudo seja feito com antecedência para que as pessoas possam se programar. Contar o que aconteceu no evento, com fotos e vídeos no website da marca, também pode gerar notícias sobre a loja.

 

Certificar a logística – para o evento funcionar bem, calcule o número de convidados, área disponível, cadeiras, bebidas, pessoas de apoio, e não esqueça dos detalhes como, por exemplo, a licença de entrada do shopping center dos participantes caso o evento seja feito fora do horário.

 

Obter o feedback – saiba quem participou do evento. Um cadastro pode ajudar. Pergunte qual foi a percepção dos convidados. Informações como essas podem gerar venda adicional e são valiosas contribuições de melhoria.

 

Gerar negócios – transforme o evento em potencial de vendas para a loja. Ofereça vantagens, descontos, serviços e outras ações comerciais que possam transformar os convidados em clientes. Mesmo que seja depois do evento, um simples contato pode gerar uma venda adicional significativa.

Os editoriais representados nesse site não expressam necessariamente a opinião das organizações mencionadas. Os textos são escritos por analistas de mercado de/para Dexi Marketing Ltda. com informações e imagens disponíveis na mídia. Não têm qualquer vínculo comercial ou publicitário com o seu editor. Assim, a Dexi espera colaborar com informações técnicas para o desenvolvimento do conhecimento do varejo e estudos do comportamento de consumo.

© 2016 por Dexi Marketing Ltda. Todos os direiros reservados.