Startup no Varejo

 

Novos negócios surgem como “Startups” no varejo e com potencial para gerar futuras redes de loja. Mas o sucesso não acontece por acaso, ele depende de alguns fatores chave.

O nome "Startup" tem sido usado com freqüência para descrever novas empresas de tecnologia. O mesmo termo foi adotado pelo varejo se referindo às novas operações de loja, geralmente inovadoras e que não tem sucesso garantido, mas potencial para se tornarem grandes redes de lojas. Por exemplo, a sorveteria “Los Paleteros” foi um dos casos de sucesso no Brasil, surgiu no final de 2012 como uma pequena loja e, já no início de 2015, somava mais de 80 operações. Alguns fatores são determinantes para os novos negócios evoluirem de uma loja para uma rede conhecida com várias unidades. 
As dicas dos empreendedores das redes de sucesso, gravitam em torno da persistência, fé na ideia original, valorização das pessoas, percepção das necessidades dos clientes e outros ingredientes ditos como fundamentais para o êxito da operação. E na verdade são, não só pela coerência com o sucesso obtido, mas também pela frequência com que aparecem nas histórias narradas pelos empreendedores, acabaram se tornando legítimos. Independentemente das sensações vivenciadas pelos fundadores das grandes redes varejistas, alguns fatores de negócios são chave para o sucesso, e podem ser considerados como mandatórios antes mesmo que a Startup seja inaugurada. Esses fatores se agrupam como ingredientes obrigatórios, algo que cedo ou tarde as operações de sucesso têm em comum, e quanto melhor a qualidade e execução deles, mais cedo virá o resultado e exponencial ele será.


Proposta de Valor Consistente
Um posicionamento de mercado envolve a construção de uma estratégia clara de marca, o que leva o varejista a fazer escolhas entre o que ele quer ser, e o que não quer. Ter um amplo portfilólio de produtos, atender vários nichos de clientes ao mesmo tempo, dispor de inúmeras soluções na loja porque “alguém pode querer”, representa a falta de escolha de um alvo claro no mercado. O foco numa proposta de valor exige dizer “não” para vários outros caminhos estratégicos. A proposta de valor resume por que o consumidor deve comprar um produto ou utilizar os serviços de uma determinada marca, convergindo para uma maior percepção de valor pelo cliente quando comparado com outras marcas, lojas, produtos ou serviços da concorrência. 
Varejistas de sucesso tem claramente determinado quem é o seu público alvo, quais problemas e necessidades eles estão satisfazendo, qual o impacto na sociedade, e ainda, como eles constroem essa solução. Tão importante quanto ter esses conceitos claros e alinhados como uma proposta de valor, é comunicá-los ao mercado. 
Por exemplo, a marca brasileira de acessórios Chilli Beans adotou o conceito do “fast fashion” para seus produtos e essa estratégia guia todas as ações da marca. A Chilli Beans construiu uma forte ligação com a última moda, define claramente um estilo de comunicação, tem público alvo marcado, relações sociais além dos seus produtos, perfil da equipe de vendas determinado, formato de loja que expressa a atitude da marca e, principalmente, coerência nas suas ações. 

Processos e Padrões
Por um instante, imagine a loja como uma pequena máquina. Como toda máquina que processa alguma coisa, é preciso ter um fluxo de entrada e outro de saída, a máquina requer um mecanismo de transformação, uma organização lógica de processos para ser montada e qualidade para produzir itens sempre iguais, um produto padronizado. Note que os grandes varejistas conseguem produzir o mesmo produto, ou repetir a mesma experiência de compra, em diversas lojas em localidades diferentes. O desenho de suas “máquinas” tem uma razão de existência, os layouts e exposições de produtos já foram testados de diversas maneiras e funcionam melhor de um jeito, os processos são claros e simples de serem reproduzidos, há pouco espaço para improvisação. Note também que os varejistas de sucesso são sistemáticos, criam processos que garantem a qualidade dos atendimentos onde quer que estejam, as lojas são palcos de reprodução contínua de milhares de transações comerciais idênticas. A estruturação de processos e a criação de padrões, garantem que o mesmo sucesso da loja original seja repetido em outros locais, e que o cliente crie um vínculo com a marca, e não com o endereço. Processos e padrões são condicionantes de sucesso no varejo.



Tráfego
A loja tem alta dependência do tráfego de pessoas. Pode ser uma loja física ou virtual, ter pessoas ou visitantes é fundamental para gerar venda. O varejo não sobrevive com pouco tráfego, e o sucesso depende de alto tráfego. Considere que é uma questão estatística, quanto mais pessoas veem ou passam pela loja, maior a chance de obter vendas. Os melhores varejistas conhecem a importância do ponto comercial e localizam suas lojas em locais de alto tráfego e boa visibilidade.
Uma Startup, tem uma dependência ainda maior do tráfego. Se o sucesso do projeto for a avaliação das vendas da primeira loja, é recomendável que a localização tenha um excelente número de pessoas para gerar alto faturamento. Bons conceitos de varejo se perdem logo no início, quando a loja piloto não atinge boa performance de vendas porque a loja teve baixo tráfego. Depois de 40 anos, a rede de cafeterias Starbucks tem mais de 20 mil lojas, e a localização da primeira loja continua sendo excelente. Situada em frente ao mercado público da cidade de Seattle nos Estados Unidos, o local é muito movimentado e essa localização foi decisiva para a avaliação de sucesso do conceito e início da expansão de lojas. A maioria das redes de varejo têm forte relação com a primeira loja porque dependeu do sucesso dela para iniciar o crescimento.

As histórias das redes de varejo são únicas, cada uma delas enfrentou um desafio diferente quando inaugurou sua primeira operação. Em comum, elas apresentaram uma boa solução para a necessidade dos clientes, criaram sistemas de operação que pudessem atender a demanda e, claro, tiveram giro suficiente para pagar o investimento inicial e expandir. O termo “Startup” era desconhecido, chamava-se “primeira loja” da rede até pouco tempo atrás, assim como as soluções para fazer essa loja dar certo tiveram que ser inventadas, adaptadas e resolvidas pelos empreendedores. Hoje sabemos que alguns fatores fazem uma diferença, são importantes como a fé e a persistência do empreendedor.

Os editoriais representados nesse site não expressam necessariamente a opinião das organizações mencionadas. Os textos são escritos por analistas de mercado de/para Dexi Marketing Ltda. com informações e imagens disponíveis na mídia. Não têm qualquer vínculo comercial ou publicitário com o seu editor. Assim, a Dexi espera colaborar com informações técnicas para o desenvolvimento do conhecimento do varejo e estudos do comportamento de consumo.

© 2016 por Dexi Marketing Ltda. Todos os direiros reservados.